Cumprindo o que determina a Lei 10.639 de 9 de janeiro de 2003 e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN nº 9.394/96) Art. 26 – A, que incluiu nas Redes de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”, a Unidade Integrada Governador Epitácio Cafeteira, localizada na sede do município de Amapá do Maranhão, realizou na noite da última sexta-feira (24 a culminância do Projeto Consciência Negra: educação não tem cor.

O evento aconteceu na Praça de eventos em frente à Secretaria Municipal de Saúde e contou com a presença de autoridades, professores, estudantes das escolas circunvizinhas e comunidade em geral que vieram prestigiar o trabalho organizado durante todo um período letivo.

Segundo o coordenador do Projeto Neto Ribeiro, o referido projeto foi uma iniciativa da Gestão e Coordenação Pedagógica juntamente com todos os educadores da Escola Epitácio Cafeteira tendo como principal objetivo, resgatar as contribuições da cultura afro-brasileira e indígena na formação da sociedade nacional bem como valorizar as diversas culturas presentes na constituição do Brasil como nação, reconhecendo sua contribuição no processo de constituição da sociedade brasileira.

Autoridades prestigiaram o evento.

Na oportunidade Estiveram prestigiando o evento o Gestor da Escola Cafeteira, Antoniel Oscar de Moura, Gestora Adjunta Valdirene Freitas, Supervisor Escolar Neto Ribeiro, Prefeita de Amapá do Maranhão Tatiane Maia de Oliveira (Tate Do Ademar) , o Líder Político Ademar, Secretário de Educação Varnivon Cruz, Secretária de Cultura Cilda Alves, Secretária de Assistência Social Ivanete Coelho, Vereadora Dorizeth Firmino, Secretário de Articulações Políticas Dr Rodrigo Prates, Gestora Marcia Baiense representando o CE Maria do Socorro M. da Silva, Prof.ª Rosa Lira Representando a Escola do Estado, entre outros.

Durante a programação aconteceram  diversas apresentações que interagiram com o público como : exposição de comidas típicas de origem africana, danças como o canto das três raças, dança do maculelê, peça teatral vida do zumbi, dramatização do navio negreiro, desfile para a escolha da beleza negra e a participação do grupo de Capoeira Ginga que Educa da cidade de Cândido Mendes – MA, na pessoa do instrutor Ronailton Freitas, mostrando muito talento e desenvoltura.

Em entrevista ao repórter Rafael Amorim da Assessoria de Comunicação da cidade de Amapá do Maranhão o coordenador do Projeto Neto Ribeiro destacou “Na verdade o projeto consciência negra ele surge como uma forma de reparar a dívida histórica que o Brasil tem com os povos africanos que aqui foram duramente escravizados durante alguns séculos. Foi uma iniciativa da Unidade Integrada Governador Epitácio Cafeteira teve juntamente com toda equipe de educadores como uma forma de resgatar as contribuições das matrizes africanas, indígenas e também europeia na formação da sociedade nacional, tudo isso como forma de combater o preconceito, a discriminação e está mostrando a igualdade entre todos os cidadãos”

“A nossa expectativa a partir de agora é que os nossos alunos se sensibilizem com a causa em relação a preconceito, discriminação racial. A ideia de trazer o evento para uma praça pública foi para comunidade tivesse está visibilidade e conceito o que é preconceito e refletir sobre a mensagem que a Escola está passando que é de combate ao preconceito e de reconhecer a contribuição do negro na formação da sociedade. Quero na oportunidade agradecer o apoio da Prefeitura em nome da Prefeita Tate do Ademar, vereadores e todos que ajudarem para realização deste evento.”  Ressaltou o coordenador Neto Ribeiro.

O diretor Antoniel em rápida entrevista enfatizou “ o evento é um momento de unir todas as raças, religiões e principalmente a educação que transforma. Hoje sabemos que os negros tem o seu lugar importante na sociedade.   Esperamos que o projeto venha contemplar não só os alunos mais a sociedade em geral e que evento venha incentivar os nossos jovens a estudar.

Prefeita Tate do Ademar “Eu fiquei bastante impressionada com a qualidade do Projeto Consciência Negra: educação não tem cor. Hoje aqui aprendemos muito com os alunos e professores que mostraram através do projeto que é importante respeitamos todos independentemente da cor da pele. Quero parabenizar toda equipe da organização do evento pois é sempre bom presenciar momentos especiais como este.” Disse a Prefeita Tate do Ademar. 

Os trabalhos foram finalizados com o som de voz e violão da Cantora Denna e Osmar, tocando muita Música Popular Brasileira (MPB) para o público presente.

 O apoio cultural foi da Prefeitura Municipal de Amapá do Maranhão, Secretaria Municipal da Educação, Secretaria de Cultura, Secretaria de Obras, Vereadora Dorizeth Firmino, Vereador Helinho, Vereador Bahia, Cimentão Amapá, Loja Soberana Chique e Padre Valdecir.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte : Texto Luciano Tavares  com Informações e fotos da Assessoria de Comunicação- Rafael Amorim.